Neurologista CRM 770

Dor Miofascial

O corpo humano possui mais de 400 músculos, o que corresponde a aproximadamente 50% do peso corporal. A função principal dos músculos é a realização dos movimentos e definem também o grau de força muscular.
Os músculos podem ser acometidos por diferentes patologias como inflamação (miosites), degeneração (miopatias), dores (mialgias), traumatismos (contusão, distensão, ruptura), cãibras, por exemplo.
Talvez a mais comum de todas é a DOR MIOFASCIAL. Trata-se de uma condição muito freqüente, motivo de consulta de 20% de clínica ortopédica e 30% de clinica médica. Pode resultar em faltas ao trabalho e gerar sofrimento.
Este tipo de dor pode surgir  em pessoas inteiramente sadias, independente de idade ou sexo, e se temos cerca de 400 músculos, qualquer um deles, ou mais de um, pode provocar este tipo de dor.
A característica fundamental é a dor LOCALIZADA em determinado ponto do músculo, de tal modo que o paciente aponta com um dedo o local da dor (“É aqui”).
Os músculos mais atingidos são os do pescoço, os dos ombros e os da região lombar. A dor miofascial é a principal causa de dor lombar, ao contrário do que se pensa que seria por problemas da coluna ou hérnia de disco.
No local da dor, a palpação revela um ponto mais doloroso ( ponto-gatilho ou “ trigger-point”) que reproduz a dor ao ser tocado. A dor assim provocada, faz a pessoa sobressaltar e afastar o local da mão do examinador, fazendo uma expressão de dor. Pode haver mais de um ponto-gatilho nas vizinhanças. Na palpação, o examinador encontra uma faixa endurecida ( como corda de violão) muito dolorida. Se o músculo é profundo ou se o tecido subcutâneo é espesso, a palpação pode ficar prejudicada.
A dor miofascial pode irradiar, ou seja, prolongar-se por uma certa distância, mas que é diferente da irradiação de uma dor de raiz (hérnia de disco) ou de nervo (ciática por exemplo).
A dor miofascial pode vir associada com outras patologias como fibromialgia, doenças da coluna ou até dores de cabeça.
O ponto doloroso corresponde a uma contratura localizada de algumas fibras musculares que constituem pequenos nódulos que liberam substâncias químicas inflamatórias e que produzem dor.
O aparecimento da dor miofascial pode não ter um fator determinado, mas é clara a relação com esforço muscular, contração muscular prolongada e defeitos de postura.
A dor miofascial pode tornar-se permanente e, com o tempo, passar ao outros músculos regionais ou a distância. Por exemplo, dor num músculo do pescoço, faz com que a pessoa procure não mover aquele músculo, o que provoca tensão em outro músculo, que acaba também ficando doloroso.
Pelo descrito pode-se deduzir que, na maioria das vezes, o diagnóstico é bastante fácil, sendo confirmado pela palpação do ponto doloroso.
O tratamento precisa ser eficaz para evitar 3 complicadores principais:  o sofrimento, a perpetuação da dor e a extensão para outros locais.
Medicamentos apenas aliviam a dor por algumas horas, mas não resolvem definitivamente e devem ser restritos a algumas situações especiais.
A técnica de tratamento mais indicada é a resolução dos pontos dolorosos o que se consegue por infiltração local destes pontos com anestésico  ou  simplesmente a introdução de uma agulha no local (agulhamento seco). Este procedimento deve ser acompanhado de exercícios de alongamento do músculo e outras técnicas de fisioterapia analgésica.
Após o tratamento dos pontos dolorosos, deve-se corrigir a causa provável que desencadeou a dor miofascial para evitar recidivas.

Compartilhe este Post

Related Post

Fibromialgia

Condição clínica caracterizada por dor musculoesquelética difusa. A dor é sentida no corpo todo, cujo início geralmente...

Quedas nos idosos

As pessoas de idade tem possibilidade de sofrer quedas. Acima de 65 anos, 28 a 35% pode...

Covid-19 e o Cérebro

O novo coronavírus pode atingir o encéfalo e representar uma grande ameaça. Este artigo é para chamar...

Deixe uma resposta