Neurologista CRM 770

Polineuropatia

Atenção para este assunto importante. As doenças dos nervos periféricos fazem parte do treinamento e da especialização em Neurologia e preferencialmente devem ser conduzidas e tratadas  pelo neurologista.

O Sistema Nervoso se divide, para fins de estudo, em Sistema Nervoso Central (SNC) e Sistema Nervoso Periférico (SNP).

O SNC compreende as estruturas contidas dentro do crânio (o encéfalo que se compões do cérebro, tronco cerebral e cerebelo) e do canal da coluna vertebral (medula espinhal).

A medula espinhal emite uns apêndices (raízes) que saem do canal vertebral e vão constituir os nervos periféricos, cujo conjunto compõe o SNP.

  • As doenças das raízes e dos nervos periféricos recebem a denominação de NEUROPATIA.  Se for de uma só raiz = radiculopatia; de um nervo, mononeuropatia; de alguns nervos  multineuropatia;  se de muitos ou  todos os nervos, polineuropatia  e se de raízes polirradiculopatia. Às vezes utiliza-se o sufixo ite em vez de patia, como neurite ou radiculite, com o mesmo significado.

As neuropatias se manifestam em territórios de distribuição anatômica do nervo. Com este conhecimento, o neurologista é capaz de definir qual ou quais os nervos estão comprometidos. Por exemplo, o nervo mediano  passa no punho através de um túnel e se distribui para os 3 primeiros dedos  da mão; se este nervo é comprimido neste local, a pessoa sente dormência ou formigamento  nestes 3 dedos ( síndrome do túnel do carpo)..

Os sintomas de neuropatia costumam ser sensitivos e motores porque os nervos tem fibras nervosas que conduzem sensibilidade e  fibras motoras que promovem força e movimento.

Sintomas sensitivos: dor, formigamento, dormência, queimação. Sintomas motores: diminuição de força, cãibras, atrofia muscular. O conjunto destes sintomas e a localização onde estão presentes, permitem o diagnóstico da neuropatia. Por exemplo, as polineuropatias se manifestam por sintomas nas extremidades dos membros , dedos  das mão e pés, de modo simétrico, destacando-se as dores e queimação nos pés extremamente incomodativas.

As causas de neuropatias são muito variadas, mas tem que ser investigadas, porque os tratamentos são dirigidos para os fatores que as  produzem . As duas mais comuns são o diabetes mellitus e o alcoolismo. Mas podem ser inflamatórias, infecciosas, produzidas por medicamentos, por intoxicações, por câncer,  por compressão e também hereditárias.

A eletromiografia (EMG) pode auxiliar mostrando o tipo de lesão predominante, se é na fibra nervosa (axônio) ou na bainha gordurosa que a recobre (mielina).  Isto ajuda a orientar para o tipo de mecanismo que lesa o nervo e deduzir as causas prováveis. Mas a EMG pode ser normal se o número de fibras comprometidas é pequeno ou se são apenas de função sensitiva.

O que pretendo chamar a  atenção é que as neuropatias requerem investigação minuciosa para encontrar uma causa e assim efetuar um tratamento mais eficaz. A EMG só demonstra que o nervo está afetado  mas não  explica o porque disto. É o neurologista o profissional  mais qualificado para estabelecer a melhor conduta nestes casos.

 

Compartilhe este Post

Related Post

Dissecção de artérias cervicocranianas como causa de Acidente Vascular Cerebral

Uma causa de AVCI que também tem crescido.

Ataques Isquêmicos Transitórios (AIT)

AIT é uma doença vascular cerebral, um dos tipos de acidente vascular cerebral (AVC).

Sintomas Neurológicos depois da Covid-19

Todos sabem que a COVID-19 pode comprometer o sistema nervoso tanto central quanto o periférico.

Deixe uma resposta