Neurologista CRM 770

Sintomas Neurológicos depois da Covid-19

Todos sabem que a COVID-19 pode comprometer o sistema nervoso tanto central (encéfalo e medula espinhal) quanto o periférico (raízes e nervos) e também os músculos. Isto acontece na fase aguda, quando o vírus penetra no corpo humano. Os mecanismos pelos quais o vírus atua e as reações do nosso organismo são variados e assim há casos leves e outros muito graves e até fatais. Ver neste site e no site do Hospital Neurológico, outras informações sobre o comprometimento neurológico pelo coronavírus na fase aguda.

Mas vamos tratar aqui do que pode ocorrer depois da infecção virótica. Se houve comprometimento mais  grave do sistema nervoso nas fases aguda e subaguda, é evidente que podem  persistir sintomas e sinais que vão melhorando progressivamente com os tratamentos disponíveis.

Entretanto o que surpreende é que casos leves da COVID parece que provocam sintomas neurológicos depois que passa a infecção.  Há estudos que indicam que mesmo episódios leves podem promover distúrbios do funcionamento do sistema nervoso.

Os pacientes descrevem dificuldade com a memória, raciocínio mais lento, o que se chama na literatura médica de “brain fog” que poderíamos traduzir por névoa cerebral. Outros reclamam de fraqueza, cansaço, dores no corpo, dormência e/ou formigamento, tonturas, sono durante o dia ou insônia a noite, dores de cabeça, desânimo e ansiedade. O grau de intensidade dos sintomas, mesmo mais leves, é capaz de interferir nas atividades das pessoas acometidas, prejudicando seu desempenho de algum modo.

Muitas vezes os pacientes já tinham esses sintomas antes e pioram com a COVID-19, como as dores de cabeça, a depressão e a ansiedade.

A situação é nova pois a COVID-19 tem pouco mais de 1 ano de seu início e o neurologista não tem uma conduta específica. Ou seja, dá o devido valor às queixas e faz exames para avaliar o estado do sistema nervoso e, se tudo der normal, como acontece com quase todos, tranquiliza o paciente e conduz um tratamento sintomático para promover alivio e melhorar a qualidade de vida. Para isso é importante medidas não só medicamentosas mas também atividade física, exercícios para memória, apoio psicológico e outras, dependendo dos sintomas apresentados.

Por Dr. Sebastião Eurico Melo-Souza

Compartilhe este Post

Related Post

Ataques Isquêmicos Transitórios (AIT)

AIT é uma doença vascular cerebral, um dos tipos de acidente vascular cerebral (AVC).

Unidade de Vídeo EEG é eficiente para diagnóstico em epilepsia

São instalados eletrodos de EEG que permanecem por dias, até que o paciente sofra uma crise epiléptica.

Insônia em pacientes com demência

Insônia é bastante comum na pessoa idosa e isso aumenta nos portadores de algum tipo de demência....

Deixe uma resposta